J. D. Baggio – Instrutor, Consultor, Diretor do Círculo dos Profissionais de Vendas. Baseado numa piada contada pelo Professor Frederic Litto da Universidade do Futuro - USP

No final da tarde de um domingo de verão, João e Maria começaram o seu costumeiro passeio de carro pelas redondezas de onde moravam. Nessas saídas eles se distraiam conhecendo pequenas propriedades e acabaram amigos do homem que fazia vinho de laranja, da mulher das geleias e isso animava seus passeios.

Certo dia decidiram visitar o casal de japoneses que há tempos não viam. Ficava um pouco distante, mas a estrada era boa, apesar de não ser pavimentada, e a paisagem maravilhosa. Talvez por ser domingo, durante um bom tempo não encontraram nenhum carro pelo caminho até que viram uma poeira enorme na frente deles que vinha em alta velocidade. Não houve tempo nem de pensar e a coisa passou numa velocidade incrível como se fosse um foguete. Eles ficaram muito assustados e João parou o carro sem entender o que tinha acontecido. Maria estava muito assustada, imagine você passeando folgadamente num domingo de sol e acontece isso? Mas decidiram que iam continuar, pois aquilo não podia ser nada mais que um fenômeno dos ventos, um ciclone, ou algo parecido. Mal retomaram o passeio e surgiu no espelho a imagem do poeirão vindo numa velocidade fantástica.

João acelerou, mas não adiantou, o poeirão os alcançou e continuou em frente. Quando o pó baixou, o coração dos dois era um batuque só. Agora já não era mais susto, era medo mesmo.

Rapidamente entraram na estradinha que dava na casa do japonês. Chegaram lá irreconhecíveis, cobertos de poeira, tremendo e gaguejando palavras que o japonês não entendia. Mais calmos contaram o que viram e o japonês e sua esposa riram dos visitantes.

Estranhando aquele procedimento do amigo João perguntou o que havia de engraçado na história, por que riam deles?

O Japonês então começou:

"Não precisa medo. Aquele poeira é galinha nova de japonês que faz. Um galinha de três pernas."
"Galinha de três pernas?" - estranhou o João. "É uma galinha aleijada? Como corre tanto?"

"Japonês exprica: Amigo de japonês, também japonês, é pesquisador no Universidade. Japonês fala muito com amigo japonês, troca idéia, fala de problemas. Um dia falou que Japonês, mulher de Japonês e filho de Japonês gostam muuuuuiiiito de coxa de galinha. Mas galinha só tem dois coxas, então tem que matar duas galinhas cada vez. Não é econômico. Então amigo de Japonês fez pesquisa genética e criou galinha de três pernas. Quando mata esse galinha tem três coxas. Coisa de gênio, não?" A história era um absurdo só, mas não havia como contrapor argumentos, pois alguma coisa andava muito rápido na estrada como um ciclone.

Ainda incrédula Maria perguntou: "Mas se era apenas para fornecer três coxas, por que fizeram ela correndo tanto?" "Amigo cientista expricou que houve erro genético. Modelo planejado não era pra correr muito", respondeu o Japonês. Aceitando a história como verdadeira João perguntou: "Com toda essa alteração genética no animal, a carne ficou mais gostosa?"

O Japonês deu uma gargalhada e disse:

"Ninguém comeu coxa ainda, galinha corre muito".

Nas empresas às vezes aparece uma galinha de três pernas. Alguém, sempre cheio de boas intenções, erra na "composição genética" e acaba criando um monstro que ninguém consegue entender.

Quando a galinha de três pernas aparece na área de vendas, aí então é um perfeito desastre. Normalmente, a causa do surgimento desse bicho é a falta de comunicação com a equipe de vendas.

Veja como criar um poeirão na empresa e não comer nenhuma coxinha de galinha:

Implante um novo relatório sem conversar antes com a equipe de vendas e, principalmente, sem informar sua finalidade;
Discuta com a área de informática a implantação de um novo sistema de informações sem consultar os seus vendedores;
Mude as rotas de vendas sem considerar a estratégia de gestão da carteira de clientes;
Convoque reuniões sem anunciar a pauta com antecedência;
Uma genial: programe um treinamento de vendas, chame só metade da equipe e não justifique nada para os que não foram chamados.

Monte uma equipe de marketing, planeje com sua agência uma campanha cara e deixe sua equipe de vendas saber disso tudo pela televisão.

Se quiser melhorar a ideia anterior, implante-a de preferência quando não tiver estoque para entregar. Outros que você pode inventar.